domingo, 5 de novembro de 2017

De segredos e medos






De Segredos e Medos
Dogmáticos mistérios que resultaram em medo
Por zeladores de uma farsa tramada na hipocrisia.
Por trás de grossas cortinas eram forjados segredos,
Transformando antigos enredos em fantasia.

Quando o poder conquistado se impõe totalmente
E a crença comum é verdade estabelecida,
Quem ousará abrir essas cortinas silentes
E descerrar o véu que oculta a mentira urdida?

Por séculos, o ponto vital foi cercado de mistérios
E poderosos mistérios povoaram o imaginário.
Guardado sempre o segredo, em mãos de impérios.

Não há quem desmascare venerado segredo,
Envolto em mistério, em pompas e circunstâncias,
Que logo se tornou a porta do medo.
Jane Moreira




Como ainda é





Como ainda é

Como se fosse hoje,
O livro sobre a mesa
As rosas, que delicadeza!

O tempo no relógio marcando
Momentos felizes de outrora
Será que ainda é tempo, agora?


Vamos ludibriar o tempo revivendo os belos tempos,

Não mais como se fosse, mas como ainda é?

Jane Moreira