sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Pobre irmão



Um tributo aos nossos irmãos refugiados, milhões que,
desamparados, esperam acolhida em outras terras.

Pobre irmão...


O nosso irmão
Sobrevivente das guerras,
Sofre horror desumano,
Lá longe naquelas terras...

Ele procura alimento,
Faminto, foge do fogo.
Morre de fome e sedento.
Ele não joga o jogo...

O jogo dos poderosos,
Fomentadores das guerras...
É questão inaceitável,
Sua sorte abominável,

Por crime odiento e nefando,
Sua morte em vida execrável:
Vão morrendo, ou minguando
Sua triste sina esperando...

Sua pátria abandonando
Compaixão de outras terras esperando
Só tristeza e morte no caminho
Nunca um gesto de carinho....

Jane Moreira





Glosa de Trovas







Glosa de Trovas

Nesta noite eu quero tanto
Do luar o encantamento
E de estrelas lindo manto
E da terra os elementos


Nesta noite eu quero tanto
Exibir os meus talentos.
E para teu grande espanto,
Reviver nossos momentos.

Quero da brisa o acalanto,
Do luar os encantamentos.
Não quero lembrar do pranto,
E chega de sofrimentos.

Depois do amor, virá o nosso encanto,
Sons da noite, chamamentos.
E, de estrelas, lindo manto,
Cobrirá os sonolentos.


E assim eu sinto que me agiganto
E vamos juntos cavalgando nos ventos,

Ouvindo um canto tão santo,
E, da terra, os elementos.

Jane Moreira