domingo, 16 de outubro de 2016

Desejo






Desejo


O teu desejo inflama o meu desejo,
Como se fosse a luz que dissolve o medo.
E, pela força que vem do teu sopro benfazejo,
Transformo-me na onda que atinge o rochedo.

Se me queres, como a lança dos transgressores,
Se me chamas com toda a força do trovão,
Eu te sigo pelas noites delirantes, sem pudores,
Com a fé dos que não procuram a razão.

Sou a força exacerbada pela força do teu grito,
Sou a frágil delicadeza que te alcança
E contigo se transforma, rompendo o infinito.

E somos chamas que se consomem lentamente,
E exorcizadas cascatas que docemente se lançam
Somos, eu e tu, brisa e vento, calor e sentimento.

Jane Moreira



Nenhum comentário:

Postar um comentário