terça-feira, 19 de agosto de 2014

Amor-Perfeito

Mote:
Bradou o velho eremita:
"Amor tem que ser posto em prática!"
Ao longe, um eco esboçou
sua adesão, não muito enfática.
Elizabeth Bishop
 

Amor-perfeito

Amor é sorriso
Sincero, leal
E preciso...

Amor é desejo,
Sem pejo,
Com siso...

Amor é preciso,
É vida
E é riso

Amor é inteiro
Com eco
E sem letreiro...

Jane Moreira




Os poemas

Mote:
Os poemas
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mario Quintana




Os poemas

Os poemas chegam feito passarinhos
E na mente do poeta fazem seus ninhos.
É quando ele se faz cego e mudo ao seu redor.

Os versos se inquietam, pedindo passagem,
Pelas mãos do poeta deixam sua mensagem
E se vão, alçando seu primeiro voo.


E partem para outras mãos, para o mundo...

E deixam, na alma do poeta, a recompensa.

Jane Moreira








Alma Torta (indriso)

Mote:
Sinto vibrar em mim todas as comoções
D'um navio que sulca o vasto mar;
Chuvas temporais, ciclones, convulsões
Conseguem a minh'alma acalentar.
— Mas quando reina a paz, quando a bonança impera,
Que desespero horrivel me exaspera!

Charles Baudelaire, in "As Flores do Mal"
Tradução de Delfim Guimarães



Amo o vento que ruge como um felino feroz
E o horror da noite escura mais atroz.
Fascina-me a chuva, a tormenta, a tempestade.

Dói-me o peito, sinto a agonia da ansiedade
Se, ao acordar, se me depara o brilho do sol:
Minh’alma se revolta ante tanta claridade.

Todo o meu ser vibra ante a procela.

E, nos becos mais escuros, meu eu se revela.

Jane Moreira






Naufrágio

Mote: 
O pior naufrágio é não partir. (Amyr Klink)




Naufrágio

Ao desistir de lutar,
Naufragou...
No mar da vida,
Fracassou...
Morreu na praia,
Se entregou,
Não fez, não foi,
Não se doou...
Arrepende-se,
De todos as chances
Que desdenhou,
Do que devia
Ter feito, ter dito...
E agora,
Só resta o remorso,
Por falta de garra,
Não encarou a luta,
Fugiu à disputa.
Espectador da vida,
Náufrago perdido...
Não foi atrevido,
Não soube navegar...



Jane Moreira