terça-feira, 8 de julho de 2014

Não há luz a me guiar...

Mote:

''E minha alma, sem luz nem tenda,
passa errante, na noite má,
à procura de quem me entenda
e de quem me consolará...''
Cecília Meireles





Não há luz a me guiar...

E a alma cambaleante pelos becos infectos,
Tenta encontrar consolo nos pedintes,
Nos travestis, nas meretrizes
Que perambulam por ali,
Expondo seus pecados e cicatrizes...

E o pensamento, aquela alma, tortura
E o pulso bate no peito, feito um refrão,
Sem pudor, sem irmão...
Minh’alma já é a caricatura
Da minha face que se mistura à escuridão.

E é essa a alma de minha triste figura,
Que chora sem lágrimas a rolar.
Eterna busca nos becos, na noite escura,
Em que faz meu futuro se revelar,
Sucumbindo, sem outra alma a me levantar.

Jane Moreira