quarta-feira, 15 de outubro de 2014

De poetas e poesia

De poetas e poesia

Diz o poeta
O que lhe vem à mente,
Sem pudores, sem censuras,
Como se fosse o arrebol,
Que não pede licença;
Como se fosse o rouxinol,
Que canta sem ensaiar;
Como se fosse o sol,
Que nasce sem se explicar.


O poeta
Solta sua poesia intensa,
Sobre o papel que espera
Pacientemente ser possuído
Pela tinta em sua mão,
Que pinta, em forma de verso,
Aquarelas de emoção,
Acima de regra ou razão.


Jane Moreira




Nenhum comentário:

Postar um comentário