terça-feira, 30 de setembro de 2014

Engano





Engano

Eu hoje me arrependo
Do que fiz e do que não fiz...
Entrei na cova dos leões, desarmada
E, quando senti a dor da punhalada,
Já era tarde demais.

Quando eu pensava
Que tudo era certeza,
Tantas vezes renunciei, enquanto mentia,
Para não arranhar a beleza
Que, na verdade, não existia...

A realidade dura e ferina
Na verdade, eu não percebia
E nem o esforço que, de mim, se exigia...
E a perfídia era como a morfina,
Que em mim se instalava.

Cada falsidade dos tempos atrás,
Hoje é revolta e lamento
De quem viu de perto o sofrimento.
E cada lamento é uma lágrima a mais,
Na lembrança de antigos ideais.



Jane Moreira




Nenhum comentário:

Postar um comentário