sábado, 6 de setembro de 2014

De fugas e procuras

Mote:
Nos labirintos poéticos ,
ressurjo
das cinzas das palavras mágicas
que brotam da minha mente ...

Roraima Alves da Costa


De fugas e procuras

Deve haver uma razão
Que a fez assim fugir.
Muito tempo venho tentando,
Tateando na escuridão,
Perseguindo a fugitiva,
Que há muito não me dá atenção.
E se estiver morta? ou cativa?
Sem poder achar a saída?
Ou perdida em labirintos?
E se estiver arrependida
De ser a cúmplice de mim,
De ser o momento de magia,
Que em minha mente vagueia
E dela se sacia?
E que, num instante poético,
Faz com que se derrame no papel,
Em forma de trova ou soneto,
Ou um rondel...
Volta e eu te prometo,
Minha fênix, meu condão,
Batizar-te Inspiração...


Jane Moreira







Nenhum comentário:

Postar um comentário