domingo, 13 de outubro de 2013

Vida – Sempre em cartaz





Em cartaz: Vida

No palco da vida, fui mais que atriz.
Escolhi a peça que quis,
Atuei com a certeza de que os aplausos
Não teriam fim.

Proibi a tristeza, relevei os pecados,
Aplaudi minha tese de que viver é urgência
,Apaguei o remorso, boicotei a consciência
Aboli as negativas, apossei-me das prerrogativas,

Não vi a passagem do tempo... A dor quis entrar em cena,
Mas teve entrada proibida. Manipulei as paixões,
Que tinham livre acesso... E, nos recessos,
Entre um e outro ato, a elas entreguei-me.

E dirigindo cada cena, cada ato, cada apresentação,
Cada passo, na magia, Protagonizei o prazer,
 coadjuvando a alegria. E, No meu livre arbítrio,
Despedi a tristeza e todas as suas seqüelas.

E agora, no último ato, o prazer, a alegria,
A urgência, a certeza, os aplausos, a magia,
As paixões e a beleza, todos esses companheiros,
Embusteiros, desapareceram...


Neste ato final,
Não me cabe
Nem o papel
De plateia.

Jane Moreira


Solidão , solidão



Solidão , solidão

Sou só
Sem abrigo
No mundo cão
Sem amigo
Sem irmão

Nasci só
Já não tinha pai.
Cresci só
Tão cedo sem mãe
Amigos não
Tristeza
Solidão...
Eu Sozinho
No mundo cão.

ou

No mundo cão
Eu sozinho
Solidão...
Tristeza
Amigos não
Tão cedo sem mãe
Cresci só
Já não tinha pai
Nasci só

Sem irmão
Sem amigo
No mundo cão
Sem abrigo
Sou só.


Jane Moreira