terça-feira, 19 de março de 2013

O Bambuzal


O Bambuzal


Meu bambuzal
era rico de folhas
e era forte também.
Ficava ali, no outro quintal, 
balançando em constante vaivém...
Sofria nas tempestades 
e, com os fortes ventos, envergava. 
 
Mas, valente, enfrentava a tormenta: 
Ora balançava, ora entortava,
mas vento nenhum o derrubava. 
Belo em sua simplicidade, 
O bambuzal não caía; 
Esbanjava valentia, 
ostentava a felicidade,
exibindo suas folhas com alegria 
de existir, ser inteiro.

 
Então, num dia de Janeiro, 
mês de grandes tempestades, 
ele envergava, mas não quebrava...
E veio o homem que, sem respeito,
acabou com sua alegria. (E a minha) 
derrubou-o por inteiro.
 
Morreu o valente guerreiro!
Veio o homem mau
e derrubou meu bambuzal!


Jane Moreira



Da Fé




Da Fé

A fé te guia
Em meio à provação,
E a incerteza te desvia
Do cerne da questão.

Então, relaxa, medita,
Transcende o momento,
Eleva o pensamento.

Penetra no âmago da questão,
Separa a razão da emoção,
A resposta sempre esteve lá.


Jane Moreira