sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Labirinto

MOTE:
Podemos inventar qualquer coisa que nos dê alegria, um amigo, um caminho. Qualquer coisa que nos ajude a escapar.
Lya Luft


Labirinto

Presa no labirinto de segredos,
mais só do que em degredo,
preciso de luz, de certeza
nesta escuridão...

Preciso do amigo,
que me devolva a sensação
de estar viva...
E me aponte a melhor direção
para fugir da escuridão...

Preciso encontrar a saída
e reencontrar a razão da minha vida...
Preciso viver novamente,
livre da escuridão...

Labirinto de emoções,
teia de traições,
que me impedem de escapar
da escuridão...

Na solidão,
o medo paralisa
e a teia em mim se enrosca.
E se fecham os caminhos na escuridão...

Preciso da mão mais amiga,
daquela emoção antiga,
minhas armas, meus escudos
contra a escuridão...

Quero minha liberdade,
ressuscitando minha vontade!

Jane Moreira





Val(ente)






Val(ente)
(Para Valdilene D. M. Silva)

Imagine a alma lírica, sofrida,
De carinho e atenção faminta,
Que, valente, busca a alegria perdida,
Mesmo que a saudade ainda sinta...

Conta as contas do seu rosário,
Sendo da dor a protagonista.
E a alma lírica, intimista,
Faz, do fundo do amor, surgir a poetisa.

Ela é da dor, a sobrevivente,
Mas, enquanto mulher, 'inda sonha.
É o que a faz sorrir brandamente...

Sua história de dor e amor é comovente,
E, ao conta-la, a poesia é quem ganha
Da dor que ainda é latente...

Jane Moreira