quarta-feira, 24 de abril de 2013

Vozes do coração

Mote:
O coração tem bordas estreitas
E, feito o mar, se mensura
Por um poderoso baixo contínuo
E monotonia azul

Até que um furacão o seccione
E, enquanto descobre
Seu insuficiente espaço,
Aprende em convulsões

Que a calmaria é tão-só muralha
De intocada gaze:
A pressão de um instante a destrói,
Um questionamento a esgarça.

Emily Dickinson
- Tradução de Ivo Bender -








Vozes do coração

Frágeis barreiras resguardam
Um coração apaixonado.
Se as dores nele resvalam,
Ele se contrai, machucado.

Barreira, erguida em fino véu,
Protege com delicadeza
O amor como um lindo troféu
Guardando sua maior riqueza.

Não se magoe esse troféu.
Não se quebre esse cristal.
Não se rompa esse fino véu...

As vozes do coração,
Mais fortes que o vendaval,
Ditam as regras da emoção.

Jane Moreira










Nenhum comentário:

Postar um comentário