quarta-feira, 10 de abril de 2013

Páginas desbotadas




Páginas desbotadas

Caminhei por estradas desoladas
E minhas memórias, hoje desbotadas,
São páginas que, com paixão, eu escrevi.

Essas páginas desbotadas, mas vivas,
De segredos corroídos e corroídas paixões,
Que as leiam as mentes compassivas...

Abrasante saudade,
Lembranças que o tempo não levou,
Hoje despojadas de claridade...

Essas pétalas de sofrimento,
Desfolhadas pelo tempo,
Só podem ser lidas com sentimento.


Jane Moreira









Nenhum comentário:

Postar um comentário