segunda-feira, 11 de março de 2013

A Pastora

Enveredando pelos caminhos da Poesia pastoril (Arcadismo)






A pastora

No campo florido, gentil figura,
Confunde-se com flores à sua volta...
Ela vem de manhã, doce ventura,
Cabelos reluzindo ao arrebol...

Teus olhos brilham mais que a própria aurora.
São eles a estrela guia na noite,
Quando te procuro, no frio de açoite,
E te cubro de beijos, linda pastora...

Não fujas, linda musa que me inflama,
Sou eu quem te ama, teu pobre pastor.
Vem ter comigo, minha linda dama...

E Cupido me inspira tanto ardor,
Que já não posso deter esta chama,
Que me consome, qual meu grande amor.


Jane Moreira










Nenhum comentário:

Postar um comentário