segunda-feira, 7 de maio de 2012

A saída








A saída

Na teia de tramas e intrigas,
confusa, cansada,
à frente, o nada...

Debato- me na teia,
sem argumento,
só meu lamento...

A revolta gerando a cobrança
e a desesperança...
Na teia a gritar...

Então, grito!
É um grito feroz, aflito
da presa que quer se  libertar.

Ouço gritos, vozes ferozes,
ecos do antigo rancor...
Sinto a raiva no ar...

 São meus algozes,
vindo me torturar...
É o passado trazendo o horror...

Só quero fugir
deste tormento...
Acabar com o sofrimento.

A Saída?
Onde está a saída?



Jane Moreira












Fascinação





Fascinação

Algo em ti me fascina, me faz sonhar.
Talvez esteja em teu olhar.
Se me fitas, não quero escapar.

Algo em ti, me chama, convida,
Não consigo recusar a acolhida.
E tomas as rédeas da minha vida.

Algo em ti me faz ver o fim
E me prende em cordas de cetim.
Talvez teus olhos sejam espelho de mim...

Jane Moreira




Majestosa natureza





Majestosa natureza

O que tem no mar,
Que amedronta e fascina?

O que tem no céu,
Que assombra e ilumina?

O que tem na campina,
Que floresce e germina?

O que tem em nós,
Que pode ser glória ou ruína?

O que tem na floresta,
Que pode ser bela e assassina?

O que tem a natureza,
Que vida e morte determina?

Jane Moreira






Brincar de viver




Brincar de viver

No meu tempo de beleza,
onde tudo era alegria,
me encantava a natureza,
me bastava a fantasia...

Brincava de princesa,
brincava, até mesmo, sozinha...
Eu era Sua Alteza
e a floresta era só minha...

E foi o melhor tempo
de toda a minha vida:
Quando viver era só passatempo,
quando ainda não havia ferida.



Jane Moreira