sábado, 5 de maio de 2012

Noites de espera




Noites de espera

De pé, naquela varanda,
O tempo volta, de repente,
Sob aquela luz branda,
Embalado pelo som do mar.

Ao longe, aquela sonata,
No crepúsculo, a ecoar.
Mais perto, a cascata
Corre límpida ao luar...

Em noites assim,
A saudade encontra o caminho
E vem chegando de mansinho
Querendo se instalar...

E, pela noite adentro,
A cascata a sussurrar,
O manto prata do luar
E a sonata a embriagar...

Mais uma noite a esperar...


Jane Moreira






Nenhum comentário:

Postar um comentário