sábado, 5 de maio de 2012

Tem endereço





Tagarela...
Faladeira...
Como fala essa mulher!
Fala da sua vida,
Da vida dos outros,
Da casca de ferida,
Que é o seu marido.
Fala do homem sofrido,
Que vive na esquina.
E fala daquela menina,
Grávida e solteira...
E daquela faxina
Que não se fez inteira.
Fala, fala, língua de trapo,
Fala, fala, língua malvada!
Que tal um esparadrapo?
Ou uma tesoura afiada?


Jane Moreira



Nenhum comentário:

Postar um comentário