segunda-feira, 7 de maio de 2012

COMO SE FOSSE


COMO SE FOSSE

Como se fosse ostra, tinha a alma fechada
Como se fosse mágica, a ostra se abriu
Como se fosse, do destino, uma guinada,
Como se fosse pérola, o amor surgiu.


Como se fosse a noite atravessando o dia,
Como se fosse milagre o nascer do sol,
Como se fosse insólito, fiz a travessia
E o crepúsculo da alma tornou-se arrebol.

E enquanto existirem a noite e o dia,
E a vida superar a morte,
E o sol for o guia e a lua for a poesia,

Nós dois iremos seguir nosso norte,
Para, juntos, saudarmos o rouxinol e a cotovia,
Como se fosse nosso caminho, nossa sorte...

Jane Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário