quinta-feira, 22 de março de 2012

Desatino (Grinalda de trovas)


 Desatino

Sou noite de desatino,
Sou o avesso da canção.
Se não mudo meu destino,
Sangro e vivo em solidão... 

Sangro e vivo em solidão,
Destilando esse amargor.
Eu grito na multidão,
Preso nas teias do dissabor

Preso nas teias do dissabor,
Perdendo toda a razão,
Sou afeto e sou rancor, 
Em meu desejo de amor.


Em meu desejo de amor,
Vivendo na escuridão,
do amor que só causou dor,
Eu fechei meu coração. 


Mote:

Sangro e vivo em solidão
Preso nas teias do dissabor
Em meu desejo de amor
Eu fechei meu coração.

Jane Moreira










Nenhum comentário:

Postar um comentário