sexta-feira, 23 de março de 2012

Alforria




Alforria

Tinha lá sua fantasia,
Seu fetiche, sua mania,
Quase nunca sorria...
E de amor não entendia.

Pobre ser que sozinho vivia,
Nunca amigo ali se via...
Parece que muito sofria.
Era a imagem da melancolia...

Penso que, talvez, um dia,
Por desespero ou ousadia,
Liberte-se dessa letargia,
Procure uma companhia...

Solidão é tirania
E qual é sua valia?
Na tristeza ou na alegria,
Um amigo é a porta da alforria.

Jane Moreira



Nenhum comentário:

Postar um comentário