domingo, 15 de maio de 2011

Dor de amor



Na quietude da noite,
a chuva cai devagar.
O vento, como um açoite,
faz barulho de assustar.
É quando a dor se acentua
e a alma fica nua,
mostrando aquela dor antiga,
arquinimiga, velha dor:
Dor de amor no rosto crispado,
lágrimas caindo, olhar nublado,
Soluço vindo...Dor de amor...

Jane Moreira





Estrago



O que fez você da vida?
Vejo uma face torturada,
De uma alma ferida...

O tempo passou e você não viu...
Não sentiu o frescor da madrugada,
O canto dos pássaros você não ouviu.

A vida passou e o rumo você perdeu,
Não dormiu nos braços do amado,
Parece que, em vida, você morreu.

Perdeu horas, noites e dias,
Uma vida inteira perdida...
Não se vive de sonhos e fantasias.

Jane Moreira




Volta ao Lar





Volta ao Lar

Além do céu e da terra,
Numa outra dimensão,
Por trás do portal se encerra
Vida em outra acepção.

Os que estavam aprisionados
No grosseiro invólucro do corpo,
De volta ao lar de que foram exilados,
Vão chegando jubilosos.

Outros chegam curiosos,
Mas cobertos da divina Luz.
Chegam felizes, ditosos,
Ao encontro da maior Luz!

Jane Moreira