quinta-feira, 5 de maio de 2011

O Manto Azul



Que não se acenda a Luz!
Que não acordem os anjos
Enlaçados, adormecidos.
Pela Luz azul são protegidos
E pelo amor, que pulsa latente,
À meia-luz, revelando
A mãe que, contente,
Envolta na ternura,
Embala a beleza inocente,
Do filho, maior ventura.
É a essência do amor,
Que vem do Criador!

No sono tranquilo
E sereno do amor,
Muito longe da dor,
Ela embala seu filho...
E, nessa hora, ela é santa;
É luz que emite o maior brilho,
Sinônimo do desvelo da maternidade,
Envolta no Manto Azul de Maria,
Que surge da Eternidade!

Jane Moreira


Nenhum comentário:

Postar um comentário