terça-feira, 24 de maio de 2011

Poesia Perdida

MOTE:   SONETO DAS ALTURAS


Poesia Perdida
Quando a poesia da mente se ausenta
E se abriga bem longe, no inconsciente,
A ansiedade do bardo, então, aumenta,
Tornando-o um eterno descontente.

Tudo se perde sem seu doce encanto,
Se na alma não existe mais poesia,
Que é do poeta, em tão grande desencanto,
O alimento, fruto de sua magia.

E não se acalma o poeta em desvario,
No desejo incontrolável de criar.
Não há corpo, só há alma em pleno cio.

E a alma insondável em suspenso fio,
Sem ter um verso ao poeta ofertar,
Perde-se no escuro e no vazio.

Jane Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário