sábado, 20 de outubro de 2012

Miséria contundente


MOTE: POBREZA E LIXO




Miséria contundente

Catava no lixo
O pobre rapaz.
A fome tamanha
Deixou-o incapaz.
Parecia um bicho,
Com fome voraz.

De lata em lata,
Procurava alimento,
Faminto e sedento,
Nem podia escolher.

Um companheiro de miséria,
Passava ali por perto,
Levava pão seco na mão.
Queria sentar, de certo,
Para comer seu pão.

Mas ao ver o pobre do lixo,
Sentiu o peito afundar.
-Ah, meu Deus, o meu pão!
Um pedaço vou ter que dar!

E chamou o pobrezinho,
Que veio de mansinho
E logo se sentou no chão
Devorando com os olhos o pão.

Seu companheiro então falou
O pão foi a “dona” quem deu.
Você come toda a casca,
Mas o miolo é todo meu.


Jane Moreira



Nenhum comentário:

Postar um comentário