sábado, 14 de maio de 2011

Fragmentos







Fragmentos

Desatei o nó
Que me prendia a você...
Ficaram só
fragmentos do amor,
cacos que restaram.

E agora, posso sorrir
por esse nó desfeito
e livre me sentir,
acordar cantando,
passado enterrado,
só o amor lembrado.

Porque o amor,
no meu peito guardado,
não morreu.
Está sendo adiado
para ser depositado
em outra emoção..

O amor adiado,
que foi guardado,
espera o momento aparecer
para poder renascer,
pronto para se entregar.

Jane Moreira






Nenhum comentário:

Postar um comentário