segunda-feira, 2 de maio de 2011

De volta às paredes


De volta às paredes

No tempo da juventude,
As paredes testemunhavam
Risadas adolescentes amiúde...

O fogo na lenha do fogão,
Nas noites de chuva lá fora,
Aquecia meu coração...

Dos segredos e das brincadeiras
As paredes, com seus quadros,
Eram cúmplices e companheiras.

Sinto saudade, da melodia
Que o som das vozes gerava,
Enquanto a chuva caía...

Sinto que a melodia,
Hoje, voltando àqueles tempos,
Tomou dimensões de sinfonia.

E o espírito cria autonomia
E hoje, busca o momento
De rever a fantasia...

A alegria e as risadas
Quero sentir novamente,
Lá, nas paredes, guardadas...


Jane Moreira





Nenhum comentário:

Postar um comentário