sábado, 7 de maio de 2011

De delicadezas e rudezas



De delicadezas e rudezas

Em toda a natureza,
Há um toque de rudeza.
O espinho da rosa-beleza
Nada tem de delicadeza.

A chuva, que limpa o ar,
Também é capaz de matar.
Assim é o imenso mar,
Que pode nos enganar.

Nosso planeta, a Terra,
Em si mesma encerra
Grandes palcos de guerra,
Que muita gente enterra.

E assim é a vida-surpresa,
De percalços e beleza,
De alegria e tristeza,
De suavidade e rudeza.


Jane Moreira


Nenhum comentário:

Postar um comentário