segunda-feira, 2 de maio de 2011

Caminhos podados



Caminhos podados

Não mais a estrela
que, antes, tanto luzia...
E nem a mulher de sabedoria.

E nem mais Ruth, Ester ou Raquel,
riscadas dos meus exemplos.
No mais, é colocar um véu.

Podaram meu caminho,
mudaram minha rota,
rasgaram o pergaminho...

Ante o desconhecido,
sem minha real identidade,
 viver de de sofismas?
escondendo a verdade?

A dor de não ser
é forte como as minhas raízes.
e a devo aos "juízes"...

Visto, então, esta pele,
que não é minha de fato.
para que a outra não se revele...

E essa perseguição,
não foi a primeira, não!
Não sei se jamais outras virão....

Como nômade, fora de prumo,
vou mudar de rumo
superando a dor, superando a morte...

Jane Moreira










Nenhum comentário:

Postar um comentário